Início

Corredor Ecológico do Rio Pacoti

APRESENTAÇÃO

A luta pela preservação do rio Pacoti começou em 1997 com a revolta de várias entidades ambientalistas após o desmatamento de uma área de 87 hectares, às margens do rio, para a construção do loteamento Passárgada. O Corredor Ecológico do Rio Pacoti, criado por meio do Decreto Nº 25.777, de 15 de fevereiro de 2000, abrange uma área de 19.405,00 hectares e localiza-se em áreas de 07 municípios: Aquiraz, Itaitinga, Pacatuba, Horizonte, Pacajus, Acarape e Redenção, no trecho compreendido entre a ponte velha da Rodovia CE 040 e a cota 600 (RN-IBGE) da Serra de Baturité, constituindo-se em uma área que interliga duas unidades de conservação, a APA do Rio Pacoti e a APA da Serra de Baturité,

Quem já esteve na Praia da Cofeco ou foi deslizar nos toboáguas do Beach Park já cruzou o rio Pacoti. Ele fica nos limites entre Fortaleza e Eusébio. Passa sinuoso e luxuriante com suas margens cobertas por manguezal e, no trecho junto à ponte, temos uma duna, de uns trinta metros, que escorre até a beira d’água. Um pôr-de-sol de fazer inveja à Beira-Mar e à Ponte dos Ingleses, com seu oceano verde da vegetação ribeirinha.

O Rio Pacoti é o maior dos cursos d’água que atravessam a Região Metropolitana de Fortaleza, estando sua nascente na vertente-oriental da Serra de Baturité, percorrendo cerca de 150 km até desembocar no mar.

A função do Corredor Ecológico é ligar a APA do Pacoti à APA de Baturité. A APA e o corredor pretende controlar a especulação imobiliária às margens do Pacoti e disponibilizar de instrumento criado por lei, para dificultar a ação daqueles que não percebem a Natureza como bem público e tentam tirar dela apenas o lucro imediato. A medida visa proteger o rio e suas comunidades nativas, tais como remanescentes da Mata Atlântica.

A Natureza venceu. Após dois anos e meio de luta, foram assinados os decretos que criam a Área de Preservação Ambiental (APA) e o Corredor Ecológico do Rio Pacoti.

JUSTIFICATIVA DE CRIAÇÃO

Justifica-se sua criação em face da necessidade de proteção das matas ciliares desde a nascente até a foz do Rio Pacoti, ao interligar duas Áreas de Proteção Ambiental – APAs, a APA do Rio Pacoti e a APA da Serra de Baturité, ao longo do Rio Pacoti, como forma de garantir meios que permitam a recomposição dos ecossistemas e sua conservação. Importante lembrar a importância do Rio Pacoti para o abastecimento de água na Região Metropolitana de Fortaleza, além da existência de remanescentes de mata atlântica e a necessidade de estabelecimento de um caminho para o fluxo da biota e preservação da diversidade biológica.

No Rio Pacoti encontram-se as barragens Pacoti e Riachão, que juntamente com a barragem do Gavião, formam o principal complexo hídrico de abastecimento de água de Fortaleza.

ÁREA, LOCALIZAÇÃO E ACESSO À RESERVA

Abrange uma área de 19.405,00 hectares. O principal acesso a esta Unidade de Conservação se dá pela Avenida Washington Soares e em seguida pela Rodovia CE 025 Km, a 30 km do centro de Fortaleza.

COMUNIDADES

Por possuir uma extensão bastante significativa, abrangendo sete municípios, o Rio Pacoti passa por diversas comunidades, sofrendo com vários tipos de agressões, principalmente nas áreas urbanas de Acarape e Redenção.

ATIVIDADES PROIBIDAS

• Implantação de atividades industriais, comerciais, recreativas ou de prestação de serviços, projetos de loteamentos, arruamentos, edificações, obras públicas ou particulares, reformas ou ampliações de edificações pré-existentes sem o devido licenciamento ambiental

• instalação de hospitais, aterros sanitários e usinas de lixo, cemitérios e necrotérios, postos de abastecimento de veículos e lava-jatos, comércio, manuseio, transporte e estocagem de produtos químicos, inflamáveis, tóxicos, venenosos e explosivos, matadouros e outros estabelecimentos cujos despejos sejam infectados com microorganismos patogênicos

• Supressão de vegetação e uso do fogo sem a autorização da SEMACE

• Atividades que possam poluir ou degradar os recursos hídricos abrangidos pela APA, como também o despejo de efluentes, resíduos ou detritos capazes de provocar danos ao meio ambiente

• Intervenção em áreas de preservação permanente, como: margens do Rio Pacoti e demais recursos hídricos, além de encostas ou partes destas com declive superior a 45°, equivalente a 100 por cento na linha de maior declive; dentre outras

• Demais atividades danosas previstas na legislação ambiental

PROBLEMAS AMBIENTAIS

Os principais problemas existentes nesta unidade de conservação são decorrentes da ação antrópica, podendo ser verificadas nas áreas marginais do Rio Pacoti, uma diversificação na forma de uso e ocupação irregular do solo, tais como: Desmatamento, substituição da cobertura vegetal por culturas agrícolas, barramentos e desvios no curso do rio e, próximo às áreas urbanas, disposição inadequada de resíduos sólidos, criatórios de animais e construções diversas.

A SEMACE realiza fiscalizações semanais na área. Entretanto, a colaboração da sociedade é imprescindível na gestão desta unidade de conservação, denunciando as agressões ao meio ambiente e adotando atitudes que propiciem o desenvolvimento de uma consciência ecológica na população e nos visitantes.

TURISMO

Na região podem ser realizadas caminhadas nas trilhas ecológicas, além da prática de esportes náuticos não poluidores, como canoagem e pesca amadora.

• Atualmente, a SEMACE está analisando esta área, devido a necessidade de sua adequação à Lei Nº 9985, de 18 de julho de 2000, que institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza – SNUC, considerando a não existência desta categoria de unidade de conservação nesta Lei.

• Elaboração de sua Instrução Normativa

• Ações sistemáticas de educação ambiental

VEGETAÇÃO

Possui mata ciliar e a mata nativa de tabuleiro. No alto curso do Rio Pacoti observa-se a presença de vegetação de grande porte, composta por remanescentes da Mata Atlântica, já em seu médio curso constata-se a existência de espécies vegetais transicionais da floresta úmida para a caatinga, considerando que as formações florísticas variam de acordo com as condições de solo, clima, temperatura, umidade, topografia e influências antrópicas existentes em cada trecho.

FAUNA:

A fauna, devido a grande variedade de ecossistemas é muito diversificada, com presença de répteis, anfíbios e mamíferos, além de várias espécies de aves e da fauna aquática.

ATRATIVOS NATURAIS

No Município de Aquiraz:

Praia do Presídio - A 17 Km da sede do município e a 5 Km da sede do distrito de Iguape.
Praia do Iguape - A 18 Km da sede do município.
Praia de Barro Preto - A 2 Km do Iguape e a 20 Km da sede do município.
Praia do Batoque - A 26 Km da sede do município.
Prainha - A 5 Km da sede do município, situada na Barra do rio Catu.
Porto das Dunas - a 22 Km de Fortaleza e a 3 Km da Prainha, onde está localizado o complexo turístico de Beach Park

No Município de Euzébio:

Lagoa do Parnamirim
Lagoa do Pólo de Lazer

TELEFONES ÚTEIS

Administradora - Gerente: Geógrafa Telma Rodrigues Sampaio - Esp. Gestão Ambiental - E-mail: telma@semace.ce.gov.br - Telefone: (85) 3488 7452
Disk Natureza: 0800 85 22 33

Fontes de Pesquisa

Site:
www.semace.ce.gov.br

Diário do Nordeste

imprimir   enviar por email

ilustração
PROGRAMA PARQUE VIVO - Centro de Estudos Ambientais Costeiro CEAC/LABOMAR
R. Cel Ednardo Weyne, s/n - Bairro: Mangabeira CEP: 61.760-000 - Eusébio - CE
Fone/Fax: (85) 3229-8718
Oktiva - Soluções web sob medida
Oktiva - Construção, Criação e Desenvolvimento de Sites em Fortaleza, Ceará